Categoria O Legado

O legado…

Como você quer ser lembrado/a?

Inicio dizendo que como seremos lembrados está sendo definido desde as primeiras interações em nossas vidas. Estou aqui falando de resultado e não de uma criação final. Afinal não tenho de pensar o legado como uma etapa que é criada ao final de minha existência. Na verdade o que deixaremos está sendo construído pelas nossas atitudes, pelas ações que executamos dia a dia e pelos resultados que alcançamos. Como queremos ser lembrados?

Conversando com minha tia Marta, que está no 94º ano de sua existência, ouvi dela tantos ensinamentos importantes. Entre tantos assuntos ela nos disse que “na vida não existe nem certo e nem errado, existem consequências”. Isto significa que devemos sempre nos ocupar da definição do que queremos colher e assim escolher a semente de onde germinará o resultado desejado. É a lei do dar e receber, do plantar e colher. A vida nada mais é do que semear e colher. “Somos donos de apenas duas coisas em nossas vidas: do tempo e da nosso estado interior”. Nada mais nos pertence. Assim diz meu máster coach Raphael Costa.

Estamos sempre deixando um legado por onde passamos. Como somos lembrados pelos vizinhos, pela comunidade de onde mudamos, pelos professores das escolas por onde passamos, pelos colegas das empresas onde trabalhamos, pelas pessoas que encontramos em nossa caminhada. Assim, a colheita se dá em todos os momentos de nossas vidas. Somos “passageiros prestes a partir” já dizia a letra de uma música. Estamos sempre partindo e chegando.

Como estamos contribuindo com as pessoas neste mundo? Que melhorias significativas estamos promovendo na vida de outras pessoas? O que estamos fazendo para melhorar o mundo?

É atuando conscientemente mesmo que com pequenas ações que vamos deixando nossa contribuição ao mundo. O importante é lembrarmos que tudo começa em nós mesmos: “Ame o próximo como a si mesmo.” Este é um dos mandamentos de Cristo. Depois precisamos construir o melhor em nossas famílias e assim ampliar para a sociedade.

Mantenha seus pilares: físico, mental, emocional e espiritual bem alicerçados. Atue ativamente, somos seres perfectíveis e não perfeitos, pois ainda não chegamos ao fim. Por isso faça, acerte e se errar, conserte, aprenda. Lute por suas convicções, elas dão sentindo à vida e nos permite amar, servir e reinventar.

“Não devemos parar de explorar. E o fim de toda a nossa exploração será chegar ao ponto de partida e ver o lugar pela primeira vez.” T.S.Eliot

“A vida é muito curta para ser pequena.”

Mário Sérgio Cortella | Se você não existisse, que falta faria?